Pesquisar este blog

domingo, 2 de abril de 2017

COMENTANDO O LIVRO EXCELÊNCIA COM EQUIDADE- estudo


Desculpe-me discordar deste estudo que mais determina e descreve uma educação excludente do que uma educação de excelência. Ler as páginas 17 e 18 já nos dá uma ideia desta filosofia excludente.
Vou citar aqui dois itens:
1- Ambiente colaborativo e agradável para o professor e aluno:
 Como pode chamar de ambiente agradável e colaborativo um local onde o diretor diz que cada professor cria sua própria rotina e depois a diretoria fica vigiando se ele está cumprindo com a rotina que criou. Ambiente de vigilância é agradável e colaborador?
Oras, aqui é possível então obrigar o aluno no dia em que morreu seu cachorrinho, a cumprir a rotina, pois esta é mais valorizada do que os fatos não rotineiros.
Oras, aqui também é possível teremos aquele professor de ciências que diz: "Fechem a porta porque está chovendo granizo lá fora e nada, nada, pode atrapalhar a rotina de nossa aula sobre os estados da água".
2- Não deixar aluno para trás oferecendo-lhe recuperação: Diz o diretor: "Pegamos o resultado da Prova Brasil e chamamos o professor e cobramos dele o porque aquele aluno não teve bom resultado".
Frente a esta prática me recordo daquelas escolas onde os melhores professores podem escolher os melhores alunos e penso assim: Então professor algum quererá investir seu tempo em alunos com dificuldades pois se ele será responsabilizado pelo insucesso do aluno, vamos ser como aqueles professores de Educação Física que detestam aleijados em suas aulas, pois os mesmos atrapalham a performance da equipe.
3- Festa no dia das crianças e outras bobagens (não que fazer festa no dia da criança seja bobagem mas não é mais do que uma OBRIGAÇÃO) que nos envergonharão em um futuro próximo como nos envergonhamos dos navios negreiros que prendiam e retiravam os negros de sua sociedade livre para escraviza-los para os brancos ou mesmo dos relatos de um catequista de uma tribo Boróro na Amazônia: (Sabe-se hoje através dos estudos de antropologia que os Boróros eram uma das tribos mais socializadas e solidárias dentre todas as outras tribos). Diz o relato da professora catequista:
"Demorei muito  para ensinar honestidade entre os selvagens. Levava eu um chocolate para a sala de aula e prometia ofertar como prêmio ao aluno que terminasse sua cópia em primeiro lugar. Percebi que todos ficavam de cabeça baixa, fingindo que escreviam e olhando por baixo dos braços para o mais lerdo da turma e quando o mais lento terminava todos levantavam as mãos ao mesmo tempo. Foi preciso usar muito a palmatória para que eles aprendessem a não mentir, a falar a verdade e  levantar as mãos apenas o verdadeiramente mais rápido para ganhar o chocolate".
Sinceramente? O livro "Excelência com Equidade" me deu ânsia de vômito e pensar que ainda há quem o possa considerar "modelo" para mudar as escolas. Mudar o que?
Oras gente: Vamos Mudar a Escola, Melhorar a Educação e Transformar este país. Chega de retrocesso e continuísmo em nome da ciência que não é cientificamente comprovada e sim, muito pelo contrário, uma vez que há inúmeras provas científicas, principalmente na Universidade de Genebra e USP de que tais fatores como metas gerais a toda a turma e provas externas não combinam com excelência de ensinar a todos e a cada um. Existem até fábulas e filmes sobre ensinar peixes a subir em árvores, esquilos a nadar, são demonstrações dos absurdos de tais provas ... E Viva o Terceiro Manifesto pela Educação que proclama o fim das provas externas como esta absurda PROVINHA BRASIL que mais é uma sorvedora de recursos públicos e enriquecedora de "consultorias de amigos do rei".
Bem, agora com fim da universalidade e gratuidade da pré-escola e do ensino Fundamental nem sei o que será de nossas escolas públicas gratuitas fundadas na época de nosso ditador Getúlio Vargas e muito menos o que será de nosso III Manifesto que prevê como quesito de qualidade a Universalidade e gratuidade do Ensino Médio, Técnico e Superior. VAMOS LIBERTAR NOSSAS ESCOLAS DESTAS FALÁCIAS E METODOLOGIAS DA PRÚSSIA DO SÉCULO XVIII.




terça-feira, 15 de novembro de 2016

SER AMADA PELOS NETOS


Como é bom sentir o amor dos netos.
Hoje acordei em uma cama de casal rodeada pelos meus netos gêmeos tão diferentes um do outro. Ao me verem levantar e vestir uma roupa de frio, nosso primeiro diálogo foi:

___ Onde você vai vó? – disse Nicolas, o mais alto, mais guloso e mais pacificador.
Corri a responder, já reservando meus cobiçados instrumentos de trabalho:

___ Vou na sala trabalhar com meu celular e meu notbook.

___ Ah! Vó, eu queria! – falou com voz chorosa o Guilherme, o menorzinho que pela misericórdia de Deus sobreviveu a problemas e complicações de saúde no coração, na fimose, no ouvido e que hoje é inteligente, carinhoso e muito engraçado.

Nicolas, o protetor que em todas as situações coloca panos mornos, respondeu em voz bem grave, consoladora e conciliatória:

___Oh! Guilherme dê Graças a Deus e ache bom que a vó vai ficar aqui em casa com a gente o dia inteiro. Ache bom!

___Ah! Nicolas, isto é bom mais melhor ainda é vó aqui e o celular comigo!

Vocês podem achar que este diálogo nem tem muita graça mas eu me senti tão amada. Tão querida! 

Achei o amanhecer mais doce de minha vida.

Como vó é boba! Dizem os ditos populares que “mãe é para educar e vó para mimar”, acho que é mais um dos ditos populares que são a pura expressão da realidade. Kkkkkkkkk

Eu sou vó de cinco meninos homens. Queria uma netinha menina, mas não veio...ainda...?

Tenho duas filhas e um filho. Meu filho optou por não ter filhos e antagonicamente uma de minhas filhas quis e planejou um filho único e a outra quatro mas queria cinco, o que não foi permissão de Deus, uma vez que da gravidez trigemelar espontânea só ficaram Nícolas e Guilherme.

Tenho dois netos de 18 anos, O Eduardo e o Fernando, que todos perguntam se são gêmeos pois nasceram em abril, mas um de cada filha. Depois vem o Beto, hoje com 16 anos, e fechando com chave de ouro minha penca de netos: o Gui e o Ni.


Como é bom ser amada pelos netos!!!!

domingo, 2 de outubro de 2016

Sobre a MP do Ensino Médio - respondendo a Paulo Ricardo Dias Florentino,

Meu amigo Paulo Ricardo Dias Florentino me desafiou a escrever minha opinião a respeito da reforma do currículo único nacional no que se refere a Educação  Básica da fase denominada  Ensino Médio (antigo Colegial) http://www.camara.gov.br/.../prop_mostrarintegra...
Publicou no face Paulo Ricardo:
"Ainda não consegui definir o quanto isso é ruim ou pode ser bom.. porque levando em consideração que as notícias tem caráter mais de informar e não detalha que tipo de mudança está por vir e de que forma pretende-se que isso se aplique, a ideia me parece legal, se fosse um ministro como Renato ou até Cid Gomes, provavelmente eu estaria festejando a iniciativa. Como trata-se de um ministro golpista é óbvio que devemos ficar bem mais atentos e com pé atrás. Mas gostaria de saber a opinião de uns amigos.. Anderson Lima Denis Plapler ElyPaschoalick Paschoalick Tião Rocha Claudio Prado"

Querido Paulo Ricardo Dias Florentino, como você pediu minha opinião me atrevo a afirmar que o motivador disto tudo é financeiro. Não economia dos estados como alguns opositores estão comentando. Penso assim porque para atender a mesma quantidade de alunos nas mesmas classes, mesmo que tenhamos menos matérias precisaremos o mesmo tanto de professores neste momento em que ainda temos ensino presencial.




 O motivador deste retrocesso absurdo e em caracter urgente é a reimpressão de TODOS os livros didáticos do país. Venho escrevendo sobre isto desde quando vi na Suécia, a decadência do ensino provocada pela comercialização dos Sistemas de Ensino e voltando ao Brasil li a notícia de que a Pearson comprava as maiores franquias de sistemas de ensino. http://elypaschoalickeosprofessores.blogspot.com.br/... Agora, no
início de 2016 escrevi sobre a compra da Saraiva e o planejamento da introdução do ensino pelas apostilas nas universidades. E mais neste mês lemos sobre a possível compra da Siciliano gráfica. A Estácio de Sá já é uma faculdade de franquia estrangeira que oferece tudo apostilado aos professores acadêmicos. É muito triste! E o pior, avalizado pelos alunos e proprietários políticos das universidades porque a mão de obra de professores robotizados pelas apostilas fica mais barata. Sobre isto tenho a comentar ironicamente: Retrocesso? Retrossesso? Retroz acesso? Sucesso? Retórica acesso ou asseço de retórica? Ou assesso de historia? Ah! Acho que é excesso de novos parques gráficos estrangeiros aportados no Brasil. Acho, não! TENHO CERTEZA e dá-lhe apostilas também nas universidades. BARBARIDADE!!! "Quem prestará contas a Deus por milhares de cérebros desperdiçados nos bancos escolares?"

 Quanto a qual governo pertence a brilhante ideia talvez seja aos governos estrangeiros porque os brasileiros vêem há muito tempo cada um dando um pequeno/grande passo desde Fernando Henrique quando em seu último mês de governo aprovou todos os processos de autorização de funcionamento às faculdades que pertenciam a políticos (por isso esta quantidade de senadores e deputados que são empresários da educação), passando pelo governo Lula, que inspirado pelo governador Aécio Neves de "Minas chega na frente" e transforma o pré em primeiro o 1º em 2º e o 8º em 9º até o governo Dilma que aprovou o Plano Nacional da Educação (PNE) que adia o ensino em tempo integral, que aprova o financiamento e subsídio governamental para escolas particulares a nível de Ensino Fundamental, que aprova uma idade mínima para alfabetização, que aprova a continuidade das duas fases do Fundamental, que aprova que nossos alunos sejam submetidos a provas internacionais de qualidade de aprendizado, que ... o coitado do Mendonça, desavisado e despreparado ministro da Educação atual, caiu de gaiato no navio e será quem vai assinar este besteirol que vem sendo preparado em consulta pública e participação via internet com uma significativa maioria de diretoras de escolas desde o começo do ano. Uma consulta pública mais ou menos como foi a do Hadad em São Paulo.http://elypaschoalick.blogspot.com.br/.../besteirol-da...

(Fui boazinha com o Ministro Mendonça Filho quando julgo que caiu de gaiato no navio pois não quero ser injusta ao sugerir que a propina vai cair depressa em seu bolso)



Ah! jà ía me esquecendo que junto com tudo isto ainda veremos uma enxurrada de abertura de escolas técnicas a nível de Ensino Médio (creio que a grande maioria será de propriedade privada de políticos ou familiares aos moldes do FIES) e veremos eles vendendo diplomas a suaves prestações para a metade dos dois milhões de jovens que há anos são lançados no vale do NEM  nem estuda e nem trabalha - terão os benefícios das bolsas de estudo e os proprietários das escolas técnicas ganharão mais dinheiro ainda porque a Medida Provisória legaliza a profissão de professores sem a licenciatura através do Notório Saber.

Seria uma piada esdruxula e bem planejada se não fosse uma catástrofe destruidora dos cérebros brasileiros.

sábado, 24 de setembro de 2016

SOBRE AS MUDANÇAS NO ENSINO MÉDIO: MAIS UM GLACÊ E ALGUNS MORANGUINHOS SOBRE O APODRECIDO BOLO EDUCACIONAL.



Logo pela manhã recebi, em meu whatsapp, uma mensagem que me solicitava um comentário sobre minha opinião a respeito das mudanças do Ensino Médio. A mensagem dizia:

“Oi Ely, o MEC divulgou hoje, mudanças no currículo do ensino médio e enalteceu a importância de melhorar a formação do professor.  A mudança do currículo, pelo que entendi , seria dividi-lo em duas etapas : a 1ª seria comum a todos e a 2ª poderia ser escolhida pela aptidão do aluno, entre humanas e exatas. Muito parecido como era no nosso tempo em que escolhíamos entre científico , clássico e escola normal. Só que agora estão propondo uma primeira etapa única antes da escolha por aptidão.  O que vc acha ? Seria uma volta ao passado ? Como foi o fim da aprovação automática ? Eu sinceramente pensei que eles fossem mexer antes,  no currículo do Fundamental. Bjs”

Já que você me faz muitas perguntas em um só texto vou procurar lhe explanar meu ponto de vista:

1-Toda mudança sob decreto é ditadura e isto não me agrada. Alguns dizem que o decreto era a única maneira do Senado e população discutirem... Que absurdo! É lógico que não, se uma mudança de lei seguisse os caminhos da democracia é que seus quesitos seriam amplamente discutidos. Aliás, esta necessidade vem desde que o Brasil condena ao Vale do NEM (nem trabalha e nem estuda) dois milhões de jovens por ano e a discussão vem desde o governo Dilma https://m.youtube.com/watch?sns=fb&v=cpkZ597aw_o  , a urgência agora está justificada no item 2 a saber:

K2-Desde 2011 os grandes parques gráficos internacionais (Pierson - Kroton) se aportaram por aqui comprando editoras e franquias. http://elypaschoalickeosprofessores.blogspot.com.br/2011/01/tecnologia-na-educacao-i-sistema-de.html
Há pouco mudaram até a lei da proporcionalidade de quotas estrangeiras diminuindo a exigência das quotas nacionais. A última negociação foi com a gráfica Editora Saraiva e falaram publicamente e claramente que era um passo muito importante para apostilar as universidades.

3- Quem está por trás deste decreto e que já vinha há tempos estudando e discutindo com os educadores sobre “idade certa para alfabetização”, “currículo único da educação” e outras políticas públicas é o movimento <Todos pela Educação> que é financiado pelos cinco maiores bancos do Brasil, demonstrando mais uma vez que o interesse é comercial e não pedagógico.

4- Quem exige o aumento da carga horária de meio período para período integral é o Banco Mundial e VAI TER QUE SER E PONTO. O que os políticos criaram depois de muito pensar sobre como fazer esta mudança gastando o mínimo possível, criaram um PNE (Plano Nacional de Educação ) onde além de determinar que período integral é composto por 6 horas; criou a estratégia de fazer aos poucos ou seja 105 para o ano de x, y% para o ano de ... até que em 2027 prometemos ter todos estudando em período integral de seis horas.
Até lá a ideia governamental é usar voluntários, no Fundamental usam o dinheiro do + educação; do + cultura e agora, pelo menos no estado de Minas, contrataram oficineiros e proibiram fazer reforço ou lição de casa no contra turno, mesmo de 8 horas, com a justificativa de que cansa os meninos, porém assim não precisa de ter professores, basta cuidadores. Então sobre período integral  penso que o governo vai gastar talvez em refeitório e comida porque para as duas horas a mais vai colocar horário de refeição descanso e uma Oficina de preferência com voluntários. Mais ou menos como fizeram no tempo dos oito anos do fundamental virarem nove. Trocaram apenas o nome.

5- Falando em voluntários, outro dia em visita a uma escola técnica profissionalizante de São Paulo, o coordenador me explicava que era muito difícil poder contratar alguém para as Oficinas de jardinagem, carpintaria, aquecimento solar, pois os que sabiam não eram formados e os que eram formados não sabiam ou não queriam dar jardinagem. Com esta medida provisória a problemática deste coordenador de não poder dar, com dinheiro público, uma “ajuda de custo” ou um “agrado” ao jardineiro que virou professor, sabem porque? Porque a medida provisória introduz o “notório saber”. Será possível contratar professores que tenham “notório saber” em determinada área do conhecimento, mesmo que não seja formado na área.

E mais uma vez os professores são aviltados, desvalorizados, substituídos... Ai,ai,ai! Me lembrei de uma certa propaganda onde o homem que estava em uma arquibancada torcendo em um jogo de futebol descia da arquibancada e de repente estava dentro de uma quadra de esporte dando aula de educação física e aparecia um “@amigos da escola” . Então, relembrou? Era uma propaganda de um dos Bancos que patrocina o “Todos pela Educaçao”. 



5- A ideia defendida pela medida provisória é entre o primeiro ano e o segundo, ou após seis meses, fazer um redirecionamento para universidades ou cursos técnicos. Será que não anteciparão o inferno que é o vestibular para estes adolescentes? Terão nossos meninos de 14,15 anos maturidade para escolher se vão para curso técnico ou para universidade.
Nosso consolo é que na Alemanha tal direcionamento é feito aos 9 anos o que corresponde a uma condenação: condenar o alemãozinho a ir para uma universidade ou ser um técnico a partir de sua performance na infância. Triste herança do seletivo Hitler. Aqui pelo menos a desilusão será aos 15 anos juntinho com a condenação para ter um ensino superior ou técnico.

6- O MEC dar ênfase a formação do professor é bem compreensível pois na compra da Saraiva foi publicado que o interesse era APOSTILAR os cursos universitários como já se faz em várias franquias como por exemplo na Estácio de Sá que é uma universidade de grupo estrangeiro.

7- Acabar com a Educação Física e Artes dos adolescentes é acabar com as habilidades,  criatividade e sensibilidade dos estudantes. Ainda mais os adolescentes que tanto gostam de teatralizar, cantar, correr, jogar...

Justificaram que nem todas as escolas estão preparadas para a prática esportiva e não ministram a carga horária necessária a estas matérias. Fiquei pensando que é quase a mesma coisa de uma assistente social solicitar o CORTE DA ÁGUA de uma casa onde os membros da família estão adoentados porque não tomam banho e nem escovam os dentes ...

É o FEBEAP Festival de Besteiras que Assola o Pais.

E o que é pior, assola o país de Paulo Freire, esta pátria que continua com o impassível busto de bronze do professor mundialmente reconhecido, que com seus olhos profundos contempla tudo da porta do prédio do MEC em Brasília.


CONCLUINDO: continua tudo na mesma! Menos, é claro o bolso dos proprietários da Time e outras publicações internacionais juntamente com os daqueles animaizinhos que o Jô Soares carregava dentro de uma gaiola na década de oitenta, no Viva o Gordo, o corrupto. NÃO BASTA COMBATER A CORRUPÇÃO, É PRECISO PREVENI-LA.

 As medidas deste DECRETO são medidas que chamo de "colocar o glacê no bolo e alguns moranguinhos”. 


O problema é que o bolo da educação está velho, embolorado,  solado e apodrecido pela divisão de séries, faixa etária, aula frontal onde o centro é o professor, aulas coletivas, conteúdos fragmentados impostos e separados, estudos impostos e objetivando aprovação em provas externas e todas as amarras que fizeram e vêm fortalecendo os nós que amarram e prendem os estudantes, desde o século XVIII – XIX aos moldes do exército da Prússia, criando soldados que não pensam e obedecem, obedecem, obedecem.

Para mim, este decreto é apenas mais um passo ditatorial que afastará o estudante do prazer de estudar e da capacidade de pensar.

Meu consolo é que nesta semana estaremos reunindo mães com filhos pequenos que não querem seus filhos com dor de barriga e vômito cultural porque comeram deste bolo envelhecido e iremos, com elas, construir uma Comunidade de Aprendizagem.



Somos Românticos Conspiradores e cremos que ainda há esperança para construir o novo anunciado no III Manifesto pela Educação: Mudar a Escola, Melhorar a Educação, Transformar um País.      HTTP://curto.co/3manifesto
ElyPaschoalick
Se lhe serviu para alguma reflexão, divulgue e leia também o artigo: http://elypaschoalickeosprofessores.blogspot.com.br/2016/09/mudar-e-dificil-fingir-que-muda-e-mais.html


SOBRE AS MUDANÇAS NO ENSINO MÉDIO: MAIS UM GLACÊ E ALGUNS MORANGUINHOS SOBRE O APODRECIDO BOLO EDUCACIONAL.



Logo pela manhã recebi, em meu whatsapp, uma mensagem que me solicitava um comentário sobre minha opinião a respeito das mudanças do Ensino Médio. A mensagem dizia:

“Oi Ely, o MEC divulgou hoje, mudanças no currículo do ensino médio e enalteceu a importância de melhorar a formação do professor.  A mudança do currículo, pelo que entendi , seria dividi-lo em duas etapas : a 1ª seria comum a todos e a 2ª poderia ser escolhida pela aptidão do aluno, entre humanas e exatas. Muito parecido como era no nosso tempo em que escolhíamos entre científico , clássico e escola normal. Só que agora estão propondo uma primeira etapa única antes da escolha por aptidão.  O que vc acha ? Seria uma volta ao passado ? Como foi o fim da aprovação automática ? Eu sinceramente pensei que eles fossem mexer antes,  no currículo do Fundamental. Bjs”

Já que você me faz muitas perguntas em um só texto vou procurar lhe explanar meu ponto de vista:

1-Toda mudança sob decreto é ditadura e isto não me agrada. Alguns dizem que o decreto era a única maneira do Senado e população discutirem... Que absurdo! É lógico que não, se uma mudança de lei seguisse os caminhos da democracia é que seus quesitos seriam amplamente discutidos. Aliás, esta necessidade vem desde que o Brasil condena ao Vale do NEM (nem trabalha e nem estuda) dois milhões de jovens por ano e a discussão vem desde o governo Dilma https://m.youtube.com/watch?sns=fb&v=cpkZ597aw_o  , a urgência agora está justificada no item 2 a saber:

K2-Desde 2011 os grandes parques gráficos internacionais (Pierson - Kroton) se aportaram por aqui comprando editoras e franquias. http://elypaschoalickeosprofessores.blogspot.com.br/2011/01/tecnologia-na-educacao-i-sistema-de.html
Há pouco mudaram até a lei da proporcionalidade de quotas estrangeiras diminuindo a exigência das quotas nacionais. A última negociação foi com a gráfica Editora Saraiva e falaram publicamente e claramente que era um passo muito importante para apostilar as universidades.

3- Quem está por trás deste decreto e que já vinha há tempos estudando e discutindo com os educadores sobre “idade certa para alfabetização”, “currículo único da educação” e outras políticas públicas é o movimento <Todos pela Educação> que é financiado pelos cinco maiores bancos do Brasil, demonstrando mais uma vez que o interesse é comercial e não pedagógico.

4- Quem exige o aumento da carga horária de meio período para período integral é o Banco Mundial e VAI TER QUE SER E PONTO. O que os políticos criaram depois de muito pensar sobre como fazer esta mudança gastando o mínimo possível, criaram um PNE (Plano Nacional de Educação ) onde além de determinar que período integral é composto por 6 horas; criou a estratégia de fazer aos poucos ou seja 105 para o ano de x, y% para o ano de ... até que em 2027 prometemos ter todos estudando em período integral de seis horas.
Até lá a ideia governamental é usar voluntários, no Fundamental usam o dinheiro do + educação; do + cultura e agora, pelo menos no estado de Minas, contrataram oficineiros e proibiram fazer reforço ou lição de casa no contra turno, mesmo de 8 horas, com a justificativa de que cansa os meninos, porém assim não precisa de ter professores, basta cuidadores. Então sobre período integral  penso que o governo vai gastar talvez em refeitório e comida porque para as duas horas a mais vai colocar horário de refeição descanso e uma Oficina de preferência com voluntários. Mais ou menos como fizeram no tempo dos oito anos do fundamental virarem nove. Trocaram apenas o nome.

5- Falando em voluntários, outro dia em visita a uma escola técnica profissionalizante de São Paulo, o coordenador me explicava que era muito difícil poder contratar alguém para as Oficinas de jardinagem, carpintaria, aquecimento solar, pois os que sabiam não eram formados e os que eram formados não sabiam ou não queriam dar jardinagem. Com esta medida provisória a problemática deste coordenador de não poder dar, com dinheiro público, uma “ajuda de custo” ou um “agrado” ao jardineiro que virou professor, sabem porque? Porque a medida provisória introduz o “notório saber”. Será possível contratar professores que tenham “notório saber” em determinada área do conhecimento, mesmo que não seja formado na área.

E mais uma vez os professores são aviltados, desvalorizados, substituídos... Ai,ai,ai! Me lembrei de uma certa propaganda onde o homem que estava em uma arquibancada torcendo em um jogo de futebol descia da arquibancada e de repente estava dentro de uma quadra de esporte dando aula de educação física e aparecia um “@amigos da escola” . Então, relembrou? Era uma propaganda de um dos Bancos que patrocina o “Todos pela Educaçao”. 



5- A ideia defendida pela medida provisória é entre o primeiro ano e o segundo, ou após seis meses, fazer um redirecionamento para universidades ou cursos técnicos. Será que não anteciparão o inferno que é o vestibular para estes adolescentes? Terão nossos meninos de 14,15 anos maturidade para escolher se vão para curso técnico ou para universidade.
Nosso consolo é que na Alemanha tal direcionamento é feito aos 9 anos o que corresponde a uma condenação: condenar o alemãozinho a ir para uma universidade ou ser um técnico a partir de sua performance na infância. Triste herança do seletivo Hitler. Aqui pelo menos a desilusão será aos 15 anos juntinho com a condenação para ter um ensino superior ou técnico.

6- O MEC dar ênfase a formação do professor é bem compreensível pois na compra da Saraiva foi publicado que o interesse era APOSTILAR os cursos universitários como já se faz em várias franquias como por exemplo na Estácio de Sá que é uma universidade de grupo estrangeiro.

7- Acabar com a Educação Física e Artes dos adolescentes é acabar com as habilidades,  criatividade e sensibilidade dos estudantes. Ainda mais os adolescentes que tanto gostam de teatralizar, cantar, correr, jogar...

Justificaram que nem todas as escolas estão preparadas para a prática esportiva e não ministram a carga horária necessária a estas matérias. Fiquei pensando que é quase a mesma coisa de uma assistente social solicitar o CORTE DA ÁGUA de uma casa onde os membros da família estão adoentados porque não tomam banho e nem escovam os dentes ...

É o FEBEAP Festival de Besteiras que Assola o Pais.

E o que é pior, assola o país de Paulo Freire, esta pátria que continua com o impassível busto de bronze do professor mundialmente reconhecido, que com seus olhos profundos contempla tudo da porta do prédio do MEC em Brasília.


CONCLUINDO: continua tudo na mesma! Menos, é claro o bolso dos proprietários da Time e outras publicações internacionais juntamente com os daqueles animaizinhos que o Jô Soares carregava dentro de uma gaiola na década de oitenta, no Viva o Gordo, o corrupto. NÃO BASTA COMBATER A CORRUPÇÃO, É PRECISO PREVENI-LA.

 As medidas deste DECRETO são medidas que chamo de "colocar o glacê no bolo e alguns moranguinhos”. 


O problema é que o bolo da educação está velho, embolorado,  solado e apodrecido pela divisão de séries, faixa etária, aula frontal onde o centro é o professor, aulas coletivas, conteúdos fragmentados impostos e separados, estudos impostos e objetivando aprovação em provas externas e todas as amarras que fizeram e vêm fortalecendo os nós que amarram e prendem os estudantes, desde o século XVIII – XIX aos moldes do exército da Prússia, criando soldados que não pensam e obedecem, obedecem, obedecem.

Para mim, este decreto é apenas mais um passo ditatorial que afastará o estudante do prazer de estudar e da capacidade de pensar.

Meu consolo é que nesta semana estaremos reunindo mães com filhos pequenos que não querem seus filhos com dor de barriga e vômito cultural porque comeram deste bolo envelhecido e iremos, com elas, construir uma Comunidade de Aprendizagem.



Somos Românticos Conspiradores e cremos que ainda há esperança para construir o novo anunciado no III Manifesto pela Educação: Mudar a Escola, Melhorar a Educação, Transformar um País.      HTTP://curto.co/3manifesto
ElyPaschoalick
Se lhe serviu para alguma reflexão, divulgue e leia também o artigo: http://elypaschoalickeosprofessores.blogspot.com.br/2016/09/mudar-e-dificil-fingir-que-muda-e-mais.html


domingo, 22 de maio de 2016

CANETADA DECEPA JAQUES DELORS - LEI DA MORDAÇA

Pergunto estarrecida: como podem decepar alguém ou alguma coisa com uma canetada?

Sim, é possível! 
Os vereadores de Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul (estado fundado no período da ditadura militar-1977) se reuniram em março de 2016 e colocaram uma mordaça na boca dos professores reduzindo-os a simples repetidores conteudistas, decretando a proibição de ser colocado em conversa dentro do recinto escolar política, religião e gênero (novo apelido do sexo). 



Por incrível que pareça, na “Cidade Morena” não se pode falar que Jovens negros são as principais vítimas da violência e têm 2,5 vezes mais chances de serem assassinados no Brasil do que jovens brancos; na cidade mais arborizada do Brasil não se pode falar de políticas públicas, e aí por diante, bota incrível nisto!
Mas, incrível mesmo é deceparem o famosíssimo trabalho realizado por Jaques Delors, a mando da UNESCO, no final do século XX sobre as tendências educacionais na educação do mundo (menos em Campo Grande)  para o século XXI, conhecidos e defendidos mundialmente como os 4 Pilares da Educação: Aprender a SER, a CONVIVER, a APRENDER e a FAZER.
Tudo indica que os dois primeiros foram abolidos por unanimidade pela Câmara Municipal de Campo Grande, pois como ensinar a SER GENTE e a CONVIVER com gente se não podemos conversar sobre o que gente é, sente, pensa, faz, crê...
A lei municipal que será obrigatoriamente exposta em local visível em todos os estabelecimentos de ensino seja ele público ou privado do município de Campo Grande (700 mil habitantes), tem em seu quarto artigo as palavras "justa - profundidade e seriedade" descritas em texto tão subjetivo que haveria necessidade de amplo debate entre juristas, mestres educacionais, teólogos, psicólogos, matemáticos, cientistas e sociólogos para que as mesmas fossem quantificadas de maneira a serem consideradas exatas apresentando um mínimo de equidade, neutralidade ou imparcialidade: "IV - Ao tratar de questões políticas, sócio-culturais e econômicas, o professor apresentará aos alunos, de forma justa – isto é, com a mesma profundidade e seriedade –, as principais versões, teorias, opiniões e perspectivas concorrentes a respeito".


                              Pensarão estes nobres vereadores que professores e alunos já são robôs?

Oriento a estes pobres professores que filmem suas aulas e suas conversas com os alunos para que possam ter direito a ampla defesa se punidos forem por esta lei que, coincidentemente, foi aprovada no dia em que se comemora em nossa Nação a implantação da Ditadura Militar popularmente conhecida como “Revolução Redentora”.
Será que esta será uma tendência mundial? Campo Grande que é descrito na Wikipédia como local de maior influência cultural da região terá mesmo este poder de liderança?
Epa, pera aí, falar em liderança num ambiente onde é proibido conversar outros assuntos que não sejam matemática, geografia, português, ciências, história; epa! Ensinar ciências sem falar em hipóteses? História sem falar em política... Acho que os professores de lá precisarão desenvolver uma inteligência analógica extraordinária para conseguirem esta façanha histórica.
Se eles puxaram a inteligência dos vereadores isto vai ser fácil, pois os mesmos aproveitaram e colocaram na mesma lei da mordaça a questão religiosa da criação do mundo, proibindo o ensino do evolucionismo aos estudantes, fato que muito agrada aos religiosos que pretendem fazer da religião um ópio para o povo. Ao contrário dos religiosos que respeitam e praticam o que está escrito em Romanos capítulo 12versículo 1 e estimulam seus fieis a estudarem profundamente teologia. 

E para os vereadores conquistarem os votos dos considerados por eles como "pessoas que respeitam a família" e angariarem os votos dos religiosos, dão o golpe de misericórdia, alegando que permitirão orações consideradas universais como o decorado “Pai e Nosso”.
Como estes nobres senhores não sabem nem sequer o significado da expressão “universal às religiões”.
Conhecerão eles a Constituição Brasileira?



quinta-feira, 31 de março de 2016

ALERTA SOBRE SISTEMAS DE ENSINO E AS GRÁFICAS ESTRANGEIRAS QUE APORTAM EM NOSSA PÁTRIA EDUCADORA


Venho escrevendo e alertando sobre apostilas serem comercializadas como sendo SISTEMAS DE ENSINO. Isto vem me preocupando desde 1980 e considero fatos significativos que muito me preocupam as últimas notícias sobre o uso de apostilas em universidades de formação de professores.

No lugar de Mudarem a Escola, mudam os livros e consideram que estão modificando o SISTEMA ESCOLAR melhorando sua qualidade. Pude constatar, através de visitas e entrevistas com estudantes adolescentes suecos, em 2011 o quanto a qualidade da rede pública da Suécia, caiu com a chegada do domínio das apostilas Sistemas de Ensino que transformaram as escolas em usuárias de apostilas com cara de livros.

Tenho medo também de que este movimento de Currículo Único Nacional (BNCCE) sirva de base para mudar todos os livros de nossa rica Pátria Educadora e introduzir de vez as obras editadas e impressas por este parque gráfico estrangeiro que aportou por estas paragens.

Hoje, março de 2016, pela primeira vez ouvi um eco para minha voz quando li considerações de José Pacheco, Denise Vilardo e Regina Potenza conversando com nosso amigo André Stábile em um e-mail coletivo de troca de ideias do Movimento Românticos Conspiradores cujo endereço para quem quer participar está aberto e é:
rc@lists.aquifolium.biz

Para poder comunicar e registrar meus temores vou transcrever aqui alguns parágrafos que escrevi ao longo destes últimos 15 anos desde a compra das principais franquias brasileiras como COC, Dom Bosco, pela Pearson americana, editora da revista Time.

15 anos se passaram e com tristeza posso complementar este artigo em 2016 constatando que a propagação e validação do Sistemas de Ensino vulgo Apostila, está indo de "vento em  popa" e como expressão do sucesso podemos observar sobre a venda da Editora Saraiva e o Somos Educação ser um grupo estrangeiro dominando o mercado didático brasileiro e agora entrando nas universidade para perpetuarem o sistema e fazerem a cabeça dos novos formandos de que livro do sistema é o melhor.
Para quem quer ler sobre a transação milionária que foi autorizada modificando a lei de porcentagem de capital nacional nas indústrias dentro do território nacional, o link é:

http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/cade-aprova-compra-da-saraiva-pela-somos-educacao

Esta modificação de leis, prática criticada e denunciada no livro  "Revolução dos Bichos" de  George Orwell, é o que produz esta quantidade de normativas que rodeiam e remendam nossa lei de diretrizes de base que desde 1972 tenta considerar o Ensino Fundamental como um TODO e as normativas ainda o conserva como um curso em duas fases como antes de 72, tempo em que se chamavam primário e ginásio e hoje chamam-se Fund I e Fund II.


Em 2011, dois anos antes do nosso III Manifesto pela educação escrevi este artigo
http://uipi.com.br/colunas/2011/01/07/tecnologia-na-educacao-i-sistema-de-ensino-ou-coletanea-de-apostilas/
onde denuncio e alerto para a entrada das gráficas estrangeiras em nosso BRASIL.

Hoje, março de 2016, pela primeira vez ouvi um eco a minha voz e preocupações em um  nestes e-mails e resolvi escrever um complemento que havia trocado por e-mail com Regina Potenza sobre o risco de termos universidades formando reprodutores de ensinagem através das páginas de uma apostila.


Resolvi então republicar meu artigo escrito para uma plataforma da TV Vitoriosa (repetidora da SBT do Triângulo Mineiro) e publicar tudo em meu blog cidadã na esperança de encontrar outros cérebros cidadãos que ouvirão meus clamores e farão parte do batalhão que vai colocar a "boca no trombone" e alertar a Pátria Educadora que há OUTRAS MANEIRAS DE FAZER DIFERENTE COM MUITO MAIS EFICIÊNCIA DO QUE SE FAZIA NO SÉCULO XIX.